RECINTOS DO BLOG

quinta-feira, 20 de maio de 2010

SALMO 23 - A OFICINA DA ALMA




É interessante notar que se por um lado a tecnologia tem progredido e oferecido ao mundo contemporâneo muito mais conforto físico, por outro lado o mundo anda mais desesperançado, mais enfermo do ponto de vista da alma. Podemos até dizer que encontramos cura para muitos males físicos por meio dos avanços científicos e tecnológicos, mas estamos mais doentes psicológica e psiquiatricamente falando. Não tenho dados para poder expor aqui, mas pelo que tenho visto e ouvido, a cada dia que passa aumenta o número de pessoas que procuram os serviços de Psicólogos e Psiquiatras por causa de seus problemas.

São pessoas deprimidas, inseguras, e um número enorme de outros problemas. Creio sinceramente que essas ciências podem contribuir com a melhora do quadro deste ou daquele paciente. Entendo que estas ciências já têm dado sua parcela indiscutível de contribuição no tratamento de problemas que acometem a alma humana. Mas, por outro lado, também creio que há determinadas doenças mentais que são mais espirituais do que qualquer outra coisa. Entendo também que há psicólogos e Psiquiatras que não podem tratar problemas que se relacionam com a fé em Deus, a não ser que sejam profissionais de confissão cristã. Mas se o forem, mesmo assim eles podem encontrar dificuldades se alguns de seus pacientes não nutrirem a mesma fé.

Também sou daqueles que entendem que muitos dos problemas de depressão, estresse, insônia, alguns tipos de dores de cabeça, e outras patologias têm como origem, a falta de fé em um Deus Providente. Muitas enfermidades na alma humana têm origem em um coração que se recusa a crer e lançar sua vida nas mãos de Deus. Gosto muito do hino que diz: “Nas mãos de Deus eu vou sereno e clamo. Nas mãos de Deus eu gozo plena paz. Vou sossegado até o fim, bem sei Deus cuidará de mim. Seguro estou, nas Suas mãos”. Além de ter uma bela melodia, a letra é como um bálsamo. Cantar essa música como uma oração, é algo que faz bem ao coração.

No Salmo 23, o Salmo do Pastor, vemos que o Salmista mostra uma confiança inabalável em Deus. Neste Salmo há lições sobre fé, confiança em um Deus todo Providente e que realmente cuida de cada um daqueles que lhe pertencem, daqueles que fazem parte do seu rebanho. Quem o escreveu foi o Rei Davi, e é muito importante que nos lembremos que antes de se tornar Rei de Israel, Davi foi pastor de ovelhas. É dessa experiência do seu cotidiano como pastor de ovelhas, que Davi tira lições que, se bem compreendidas pela mente e plenamente aceitas pelo coração, surtem efeitos extremamente benéficos para a alma humana tratando de muitas de suas enfermidades.

Davi começa com uma expressão maravilhosa. Ele diz: “O Senhor (Jeová, o Deus do Pacto), é o meu pastor; nada me faltará”. Você pode perceber o quão lindo é isso? É um pastor de ovelhas dizendo isso.

“A primeira observação a respeito desta expressão é a de que o Salmista não discute se há ou não um Deus. Ele sabe, em seu coração que Deus existe. Para ele, essa questão está fora de discussão. Aliás, é assim, com essa fé imorredoura que o Salmista e Salmistas, começam a maioria dos Salmos.

A segunda observação é de que o salmista sabe que esse Deus é o seu pastor, e por isso ele afirma confiante e seguramente: “nada me faltará”. Isso não quer dizer que tudo que a ovelha quer, o Pastor dá, mas sim que tudo o que é necessário, o Pastor providencia.

Não sabemos ao certo quando Davi escreveu este Salmo, mas, olhando para a biografia do salmista podemos concluir que isso foi verdade na vida dele. Foi Deus que lhe deu coragem suficiente para lutar contra o gigante Golias e derrotá-lo de uma forma extraordinária. Davi foi implacavelmente perseguido pelo rei Saul, mas Deus o protegeu de todas as tentativas contra a sua vida. Lutou em muitas batalhas contra os filisteus, incansáveis inimigos dos israelitas, mas Deus lhe deu vitórias, sempre. No momento mais doloroso de sua vida, já como rei, quando pecou de forma fragorosa e vergonhosa, Deus foi misericordioso com ele.

Talvez você que nos lê esteja enfrentando batalhas contra os diversos Golias que te rodeiam tentando te destruir. Nesta hora você se sente pequeno tanto quanto pequeno era Davi. Mas saiba que se você pertence a Deus, se é ovelha do seu rebanho, certamente, é mais que vencedor (Romanos 8.37).

Lembre-se aquilo que o Salmista diz: “Confia no SENHOR e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará. Fará sobressair a tua justiça como a luz e o teu direito, como o sol ao meio-dia”. (Salmos 37:1-60)

Se Deus é o pastor e nós ovelhas do seu pastoreio, por que andamos sobressaltados, ansiosos, desconfiados, inseguros, deprimidos a respeito do futuro? Nenhuma dessas atitudes mentais podem nos ajudar em circunstâncias de conflito ou de desafio. Murmurar, trovejar, praguejar, derramar lágrimas de inconformismo, são atitudes que agravam essas situações. É preciso crer que há um Deus que nos pastoreia e que esse pastoreio supre nossas necessidades as mais básicas. É bom poder dizer: “O Deus Eterno me pastoreia, nada do que preciso, há de me faltar”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário